Publicidade 01

Slider

Imagens de tema por kelvinjay. Tecnologia do Blogger.

publicidade

publicidade

Text Widget

Sample Text

TV 100 Barreiras

GERAL

SAÚDE

ENTRETENIMENTO

ESPORTE

FOTO DO FATO

» » » Educação: o que muda nas escolas em de 2018

Em 2018, alunos da educação infantil (creche e pré-escola) e do 1º ao 9º ano (ensino fundamental) terão seus currículos adaptados de acordo com as competências estabelecidas nas diversas áreas do conhecimento, como matemática, língua portuguesa e geografia.

Entre as principais mudanças na Base Nacional Comum Curricular (BNCC) está a obrigatoriedade de se concluir a alfabetização até o 2º ano e a inclusão de critérios específicos para ensino religioso. As discussões sobre orientação sexual e ideologia de gênero ficaram de fora da última versão do texto.

O documento, previsto na Constituição e na Lei de Diretrizes e Bases Educacionais (LDB), é um modelo de conhecimentos obrigatórios que deverá ser seguido pelas redes de ensino estaduais e municipais. O mesmo vale para instituições privadas.

De acordo com o professor da Universidade de Brasília (UnB) e especialista em educação, Célio Cunha, a decisão do Ministério da Educação (MEC) de incorporar o ensino religioso à última versão da Base Nacional Comum Curricular é válida apenas se houver espaço para se falar das diferentes crenças.

A polêmica foi bastante discutida ao longo do ano de 2017,se baseando na última versão da base apresentada pelo Ministério da Educação (MEC). Conforme as orientações da Lei de Diretrizes e Bases, é obrigatórioa oferta da aula nas escolas públicas, mas, é facultativa a presença dos alunos na disciplina.


De acordo com o MEC, a Base Nacional pode contribuir para melhoria do desempenho dos alunos brasileiros, já que define com precisão “as competências e os conteúdos essenciais para o desenvolvimento em sala de aula”. A pasta mostrou ainda que a elaboração da BNCC durou quatro anos, sendo realizados 27 seminários estaduais em todo o país com mais de 9 mil participantes. O documento relativo ao ensino médio só deve ser discutido a partir de 2018.


Fonte:diariodepernambuco

«
Próxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga