Publicidade 01

Slider

Imagens de tema por kelvinjay. Tecnologia do Blogger.

publicidade

publicidade

Text Widget

Sample Text

TV 100 Barreiras

GERAL

SAÚDE

ENTRETENIMENTO

ESPORTE

FOTO DO FATO

» » Campo Maior é a 7ª cidade mais rica do Piauí

A Fundação Centro de Pesquisas Econômicas e Sociais do Piauí - CEPRO - divulgou dados do ano de 2016 do PIB (Produto Interno Bruto) que totalizou R$ 41,405 em bilhões, sendo R$ 36,977 referentes ao Valor Adicionado (VA) e R$ 4,427 relativos aos Impostos sobre Produto, com um acréscimo de R$ 2,258 em valores absolutos, representando um incremento da ordem de 5,8% em comparação com ano de 2015.
Os cinco maiores PIBs por município em 2016 foram Teresina, Parnaíba, Picos, Floriano e Uruçuí. O município de Teresina continuou sendo o centro dinâmico da economia piauiense, revelando um incremento nominal de 8,58% no valor do seu PIB.
Já os cinco maiores PIBs per capita de 2016 foram Guadalupe, Uruçuí, Teresina, Baixa Grande do Ribeiro e Bom Jesus. Com exceção de Teresina, os outros quatro são municípios com vocação para a agropecuária, onde se destaca a produção de cereais e com baixa densidade demográfica.
Campo Maior aparece em 7º lugar atrás de Teresina, Parnaíba, Picos, Floriano, Uruçuí, Piripiri, e à frente de Bom Jesus, Guadalupe e São Raimundo Nonato.
O CÁLCULO E OS SETORES
O cálculo do Produto Interno Bruto dos Municípios avalia o fluxo de produção nos 224 Municípios Piauienses, identificando o Valor Adicionado Total gerado pelos segmentos da Agropecuária, Indústria e Serviços, além dos Impostos medidos indiretamente e o PIB per capita.
O PIB 2016 teve no setor Agropecuário uma queda na sua estrutura produtiva estadual, reduzindo sua participação de 7,8%, em 2015, para 5,1% em 2016, portanto, uma retração de 2,74%. A má distribuição das chuvas durante o período do plantio e do ciclo das culturas provocou uma redução de 56,96% na produção de grãos no Estado em 2016.
O setor Industrial experimentou declínio, saindo de 13,6%, em 2015, para 12,7% no ano de 2016 com retração 0,87%. A queda deu-se, notadamente, em função das atividades da indústria extrativa, indústria de transformação e construção.
No setor Serviços, observou-se uma melhora de participação, passando de 78,7%, em 2015, para 82,3%, em 2016, do Valor Adicionado do PIB Estadual, em decorrência do desempenho da administração pública, atividades imobiliárias, educação e saúde privados, serviços domésticos, atividades financeiras e atividades profissionais científicos.
Entre os 224 municípios piauienses, 10 são responsáveis por 64,64% da riqueza gerada no Estado em 2016, enquanto em 2015, esses municípios foram responsáveis por 64,41% da economia do Piauí, mantendo, assim, a concentração da riqueza.
Fonte: EmFoco

«
Próxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga