Publicidade 01

Slider

Imagens de tema por kelvinjay. Tecnologia do Blogger.

publicidade

publicidade

Text Widget

Sample Text

TV 100 Barreiras


GERAL

CLIQUE E VEJA AS NOVIDADES!

SAÚDE

ENTRETENIMENTO


ESPORTE


FOTO DO FATO

» » » CLIMA TENSO: Insultos e desabafo marcam a semana da eleição da associação do Cariri


O que deveria ser uma disputa saudável com objetivo coletivo em prol da comunidade se tornou uma queda de braço político. O clima tenso nos dias finais que antecedem a eleição para a nova mesa diretora da Associação de Moradores do Cariri está cada vez mais quente.

Um vídeo divulgado nas redes sociais mostra o vereador Raimundo Parente (PP), alterado em um discurso após uma caminhada com a candidata Patrícia Parente representante da chapa 1 (sua irmã). O vereador fala em tom alto aos moradores sobre interferência de dinheiro no curso da eleição e diz que é uma briga entre o tostão contra o milhão.

“Não iremos nos intimidar com agressões dos poderosos, o Cariri não tem dono, tem amigos” desabafou o vereador nas redes sociais.


Em uma atividade de campanha da candidata Patrícia Parente, um assessor do prefeito João Félix chegou a chamar um dos apoiadores da chapa 2 de forasteiro, as ofensas seriam direcionadas ao Secretário de Limpeza e Iluminação, Paulo de Tarso, ambos fazem parte do mesmo grupo político que apoiam o prefeito.

A outra chapa que disputa contra a candidata de Raimundo Parente está sendo apoiada pela vereadora Miszarléia Almeida (PSD) e seu esposo e Secretário de Limpeza e Iluminação Paulo de Tarso. A chapa 2 é liderada por um amigo da família conhecido como Sasá.

Em nota divulgada em um veículo de comunicação, a vereadora Miszarléia Almeida disse que é do bairro Cariri, que constitui sua família lá e que não aceita receber ofensas vagas. Ela lamentou a atitude dos participantes da chapa 1 e solicitou reforço policial para o dia da eleição.

Os moradores do bairro irão escolher a nova mesa diretora da associação nesse sábado dia 06 de fevereiro. Na última eleição que aconteceu em 2018 cerca de mil moradores votaram.

As associações de moradores deveriam ser organizações sem fins lucrativos com objetivo em comum na conquista por benefícios e desenvolvimento para as comunidades. Mas isso ficou há muito tempo na teoria, na prática, as associações vêm sendo usada cada vez mais para fins políticos, cabides de empregos e curral eleitoral.     


Por: Diego Nascimento

«
Próxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga